Blog

5 tipos de empreendedor para NÃO imitar
15 de maio de 2019

5 tipos de empreendedor para NÃO imitar

A liberdade de ser seu próprio chefe e a perspectiva de obter bons lucros e independência financeira são os principais motivos pelos quais as pessoas têm deixado seus empregos regulares para empreender. Essa mudança no estilo de vida profissional é profunda e, nesse processo, muita gente se complica.

Ser empreendedor requer a adoção de uma nova postura para conduzir com firmeza e inteligência os rumos da empresa. Infelizmente, nem todos têm essa disciplina. Assim, confira a seguir 5 tipos de empreendedor que não devem ser referência para quem estiver pensando em empreender:

  1. O faz-tudo

Quando alguém começa um negócio próprio, naturalmente se sente ansioso para que cada área funcione corretamente. Especialmente no início, quando o negócio é pequeno e há poucos funcionários, pode acontecer de ele querer resolver tudo sozinho e acreditar que vai conseguir vender, cuidar das finanças, trabalhar no marketing e mais tudo o que for necessário. No princípio, isso pode até ser possível. Contudo, à medida que a empresa cresça e as operações tornem-se mais complexas, ele precisará delegar tarefas e confiar nas pessoas. O faz-tudo pode enlouquecer se não distribuir funções.

  1. O bagunceiro

Utilizar dinheiro da empresa na vida pessoal. Colocar dinheiro pessoal na empresa. Misturar as contas. O bagunceiro é aquele que não sabe quando acaba a vida pessoal e quando começa a profissional e vice-versa. Sem saber o que é de qual categoria, ele perde totalmente a noção de sua situação financeira – e da empresa que administra. Quando percebe, está no vermelho, e seu negócio correndo sérios riscos. Mais um perfil para evitar.

5 tipos de empreendedor para NÃO imitar

  1. O bonzinho

Sabe aquela pessoa que pensa “quando eu for chefe, quero ser amigo dos meus funcionários”? Isso é ótimo, ninguém merece ter um carrasco como líder. No entanto, é preciso compreender que sempre há pessoas dispostas a tirar vantagem de seu lado afetivo, incluindo funcionários, fornecedores e demais parceiros. É bacana ser amigo dessas pessoas, mas também é importante deixar claro que flexibilidade tem limite. Defenda os interesses de sua empresa mantendo uma postura firme e racional, inclusive para dizer “não”.

  1. O cabeça-dura

Numa espécie de contraponto ao perfil anterior, também não se deve ser o extremo oposto. A firmeza é importante, mas isso não quer dizer que você não tenha que ouvir o que seus funcionários, colaboradores e parceiros têm a dizer. Podem surgir ideias incríveis, se você souber dialogar com essas pessoas e entender que nem sempre você estará com a razão ou terá a melhor ideia. Mantenha um bom relacionamento com todos, mantendo-se aberto e acessível. A teimosia pode conduzir a erros fatais.

  1. O perdido

Alguns profissionais decidem empreender pensando apenas nos lucros, mas esquecem-se de que há muito trabalho a ser feito: saber administrar uma empresa, pesquisar a situação de mercado de seu segmento, contratar funcionários, estruturar a organização, fazer parcerias e por aí vai. Tudo isso exige um perfil comunicativo, flexibilidade e muito estudo.

Não seja o tipo de pessoa que empreende apenas para “entrar na onda”. Tenha foco, priorize tarefas, finalize pendências, auxilie seus funcionários e, acima de tudo, seja muito organizado. Empreender é algo sério, que pode sim te ajudar a realizar todos os seus sonhos, mas nem por isso deixa de exigir responsabilidade e disciplina.

Que sua jornada de empreendedorismo passe bem longe dos perfis acima. Sucesso!

Obs: Para saber mais sobre desenvolvimento pessoal, profissional e financeiro, participe da próxima edição do Millionaire Mind Intensive, o maior treinamento de educação financeira do mundo, em Brasília, de 5 a 7 de julho.


Tags:,


Receba promoções, ofertas e conteúdo exclusivo.

Preencha abaixo.