Blog

Como vai a sua Inteligência Emocional?
16 de maio de 2019

Como vai a sua Inteligência Emocional?

Quando se fala em inteligência, o conceito é quase sempre associado ao aspecto racional, à lógica e à solução de problemas. No entanto, agir com inteligência, em qualquer área da vida, também envolve consideravelmente o âmbito emocional. Razão e emoção parecem lados opostos, quando na verdade são itens complementares para quem deseja ser bem-sucedido, especialmente em posições de liderança.

Autoconhecimento

O primeiro passo para desenvolver a inteligência emocional é reconhecer suas próprias emoções. Ao se lembrar das diversas experiências que já viveu, você provavelmente identificará quais são as coisas da vida que te despertam felicidade, tristeza, ansiedade, medo, alívio, coragem, motivação, estresse, entre outros. Compreender os seus padrões emocionais ta ajudará a prever suas reações e seus impactos naqueles que o cercam, evitando consequências negativas.

Administração de seus sentimentos

Psicólogos em geral não gostam da ideia de “controle”, pois ela pode ser incorretamente associada à repressão de sentimentos, o que não é positivo. O que cada indivíduo deve desenvolver é a capacidade de dosar seus sentimentos, ímpetos e humores, tentando canalizá-los para algo mais produtivo. É o típico de caso de quem “desconta” o estresse em algum tipo de esporte, por exemplo. Isso previne muitos atritos e o acúmulo de sensações negativas que, em longo prazo, pode desencadear problemas mais graves.

Motivação

Outro aspecto importantíssimo da inteligência emocional é a motivação, ou seja, a força interior que te dá ânimo para fazer o que precisa ser feito. Você provavelmente já ouviu falar, e talvez até já tenha percebido por experiência própria, que quem é apaixonado pelo que faz resolve os problemas com mais paciência e coragem, não é mesmo? Esse é o impacto da motivação, uma inspiração que vai além do dinheiro ou do status que uma profissão pode proporcionar.

Além disso, um bom líder deve transmitir e despertar essa motivação em seus colaboradores, construindo um clima organizacional muito mais saudável e produtivo.

Comunicação Interpessoal, Empatia e Liderança

Como vai a sua Inteligência Emocional?

Além de compreender as suas próprias emoções, é importante fazer o exercício constante de se colocar no lugar do outro, seja numa relação líder-funcionário, seja numa relação colega-colega. Pensar no tipo de emoção e reação que as pessoas possam ter é uma forma de demonstrar respeito e empatia.

Isso ajuda a ser mais claro e eficiente na hora de se comunicar com as pessoas. Para os lideres, em especial, a empatia ajuda também a delegar tarefas, identificando as pessoas com os perfis – intelectuais e emocionais – mais indicados para executá-las.

Desenvolver a inteligência emocional permite que uma pessoa seja mais criativa e ousada, de forma calculada, na hora de resolver problemas, sem que as emoções bloqueiem seu raciocínio lógico. Assim, administrar sentimentos constrói relações mais saudáveis, inclusive na vida profissional.

Para os líderes, em especial, ela é mais importante ainda. Ser emocionalmente inteligente lhes permite que as questões profissionais sejam separadas das pessoais, seja na hora de atribuir tarefas, corrigir erros, elogiar acertos e motivar a equipe, mantendo-a unida.

Desenvolver a inteligência emocional é uma forma de construir um futuro de sucesso em todas as áreas da vida.

Obs: Para saber mais sobre desenvolvimento pessoal, profissional e financeiro, participe da próxima edição do Millionaire Mind Intensive, o maior treinamento de educação financeira do mundo, em Brasília, de 5 a 7 de julho.


Tags:, , , , , ,


Receba promoções, ofertas e conteúdo exclusivo.

Preencha abaixo.