Blog

O dilema financeiro: Pensar no presente ou pensar no futuro?
24 de abril de 2019

O dilema financeiro: Pensar no presente ou pensar no futuro?

Não é novidade. A prosperidade financeira requer uma boa dose de planejamento. Muitas vezes, especialistas recomendam que uma determinada porcentagem daquilo que se ganha seja poupada para casos de emergência e para investimentos futuros.

Abrir mão dos prazeres do agora visando a algo grandioso no futuro é uma boa ideia, mas, ao mesmo tempo, é um desafio. “Por que viver pensando num amanhã que nem sabemos ao certo como será?” às vezes é um pensamento que surge e nos pega desprevenidos. No entanto, a persistência é fundamental para que sejamos firmes no seguimento de um planejamento financeiro.

Nesse sentido, confira algumas dicas para conciliar a vontade de consumir coisas boas com o desejo de poupar:

  1. Pesquisar não é perder tempo

A impulsividade é uma grande vilã do bolso. Muita gente sai de casa sem listas, sem conhecer marcas, sem ter noção de preços. E isso é péssimo. Antes de ir às compras, conheça os diferentes locais que comercializam o item que deseja, quais são as marcas, quais são os atributos que as diferenciam, o que mais se aplica às suas necessidades e, por fim, os preços praticados.

Já parou para pensar que um produto mais adequado para você pode estar mais barato do que aquele que todo mundo está comprando? Já passou por aquela situação de encontrar um produto mais barato 5 minutos depois de ter adquirido um bem similar? Pesquisas evitam esse tipo de prejuízo. Pode parecer besteira na hora, mas, pense no final do mês: como estaria seu bolso se tivesse pesquisado em cada compra que realizou?

  1. Sem medo de negociar

Está comprando em grande quantidade? Pagando tudo à vista? Você está oferecendo um belo lucro ao vendedor. Assim sendo, por que não exigir algo em troca? Pergunte se ele pode conceder algum desconto ou fazer alguma proposta que te “recompense” pela sua compra. É o bom e velho “o ‘não’ você já tem”. Não custa perguntar e tentar barganhar.

O dilema financeiro: Pensar no presente ou pensar no futuro?

  1. Plano B, C, D…

Quando você precisa adquirir um item, mas ele está muito caro, vale a reflexão: preciso mesmo deste produto, desta marca, com todas essas funções? Estou adquirindo este produto por mim ou pela opinião alheia? Há muitos fatores psicológicos envolvidos em qualquer compra, de modo que é sempre necessário fazer estes questionamentos. Será que há opções mais simples, mas que resolvem a sua necessidade ou o seu desejo?

  1. Não exclua o lazer da sua vida

Dizem os nutricionistas que dietas muito restritivas são as mais rapidamente abandonadas. Com a vida financeira não é muito diferente. É sempre melhor reduzir a frequência de um programa de lazer do que aboli-lo de vez da rotina. Assim, vá ao restaurante favorito uma vez por mês, ao invés de todo sábado, por exemplo.

Nesse sentido, também vale a pena ser criativo: cozinhar em casa, preparar uma ambientação especial e assistir a um filme bacana também pode ser uma noite bem divertida, sem sequer sair de casa. Este é apenas um exemplo de situações que podem ser adaptadas em nome de uma economia financeira.

Como você pode perceber, não é preciso sacrificar completamente o presente em busca de um futuro mais promissor. Com pesquisa, negociação, reflexão e criatividade, esses “sacrifícios” ficam mais toleráveis. Planeje-se!


Tags:, ,


Receba promoções, ofertas e conteúdo exclusivo.

Preencha abaixo.